7°Seminário de Bioética

Por isso, ao considerar a pessoa humana como fundamento de um modelo ético, como na bioética personalista, se enfrenta a realidade com precisão, e parte dessa entidade (unidade de corpo-espírito)

DSC_9320

Aconteceu  no dia 24 de setembro próximo passado,  o 7º Seminário de Bioética promovido pelo Centro da Família Coração de Jesus  em parceria com  a PUC/Goias. Evento foi assessorado pelo Pe. Luiz Henrique Brandão com o tema: “A fundação do juízo bioético a partir do modelo personalista e seus princípios”.

Quando falamos de uma Bioética personalista, estamos falando de um modelo de Bioética que tem como fundamento o reconhecimento da pessoa humana em todas as suas dimensões, do reconhecimento da pessoa como unidade de corpo e espírito. A partir desse modelo que considera a pessoa no seu todo com todas as suas dimensões, com a sua identidade, isto é, ela é única, e ao mesmo tempo apresenta as dimensões: biológica, física, uma dimensão psicológica, uma dimensão espiritual, uma dimensão moral, ou social, como queiram chamar, nós podemos fundamentar todo um debate bioético que tem que considerar todos esses elementos dessa realidade chamada pessoa. Portanto o conceito de pessoa é fundamental no âmbito da bioética, já que muitos dilemas da área são resolvidos com base na identificação de um ser humano como sendo ou não pessoa. E muitas são as teorias para definir a pessoa humana, em especial quando tratamos os estágios iniciais da vida humana. Por isso, ao considerar a pessoa humana como fundamento de um modelo ético, como na bioética personalista, se enfrenta a realidade com precisão, e parte dessa entidade (unidade de corpo-espírito) como parâmetro para ditar a prática da bioética. Assim, a dignidade de todo ser humano deve ser respeitada.

Oferecendo, assim uma clareza diante da mentalidade atual que nos cerca, mentalidade comum, no sentido do que a mídia quer difundir, fala muito de um individualismo. Então há a hegemonia de uma autonomia que é um subjetivismo centrado só na pessoa. Ou fala muito do hedonismo, que é a busca desenfreada pelo prazer, não pela felicidade, mas pelo prazer. Ou do utilitarismo, a relação do custo-benefício. Essas mentalidades que estão no nosso entorno acabam por reduzir, por exemplo, o conceito de qualidade de vida, este conceito que em hipótese alguma pode ser, reduzido à questão do estar bem fisicamente apenas. A vida tem um significado independentemente dessas circunstâncias como, por exemplo, o comprometimento do físico. E é justamente nessa linha que uma Bioética personalista, ao pôr em pauta a pessoa na sua totalidade, ajuda-nos a ter uma visão muito mais abrangente, muito mais realista, eu diria muito mais verdadeira, de como enfrentar essas situações que são dramáticas, da doença, do sofrimento, às vezes até da perda de sentido, que precisa ser retomado para que, ao se retomar o sentido da vida, possa-se achar, nas diferentes circunstâncias em que a vida se apresenta, o significado e o valor daquele momento.

DSC_9308

Por equipe do CFCJ

Anúncios

Salve Maria! O Blog Centro da Família Coração de Jesus agradece o seu comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: