Celine Dion: devo minha vida a um sacerdote especial

celine_dion_concert_singing_taking_chances_2008

© Anirudh Koul

Se aquele padre não tivesse convencido sua mãe a desistir do aborto, hoje não teríamos a talentosa Celine Dion entre nós

Em 1967, Thérèse Dion, a mãe de 13 filhos, sofreu ao ficar sabendo que estava grávida novamente. Sua família era pobre e numerosa, ela não queria ter mais filhos e, por isso, angustiada, procurou o padre de sua confiança e lhe contou que estava pensando em abortar.

O sacerdote católico a ajudou a refletir seriamente sobre a ideia de acabar com uma vida que não lhe pertencia, sobre o fato de ela não ter o direito de ir contra a natureza e sobretudo de não ir contra a vontade de Deus.

Foi assim que, em 30 de março de 1968, nasceu Celine Dion, a mais nova de 14 irmãos e dona de uma voz espetacular, que a levou a ser uma das maiores estrelas femininas do mundo da música.

“Tenho 13 irmãos e eu sou a última, o ‘acidente’… E preciso reconhecer: devo minha vida àquele sacerdote! Assim que minha mãe se recuperou do desânimo, não perdeu um só minuto com autocompaixão, e me amou tão apaixonadamente quanto havia amado todos”, disse Celine Dion em uma entrevista.

A vida de Celine Dion, assim como a de Beethoven, foi concebida sob circunstâncias desfavoráveis. Em ambos os casos, houve muitos irmãos, pobreza e uma mãe desesperada. O nascimento dos dois músicos nunca foi desejado. Finalmente, no pior momento da crise, ambas as mães perceberam que tinham outra opção e decidiram levar sua gravidez até o fim.

Graças a esta corajosa decisão, a humanidade pôde atesourar 9 sinfonias, maravilhosas obras de arte compostas por Beethoven. E atualmente podemos desfrutar de músicas belíssimas interpretadas por Celine Dion, como “Because You Loved Me”, “My Heart Will Go On”, entre outras.

Cada ser humano possui um valor infinito com potencialidades incríveis, e Celine Dion é um testemunho vivente, diante de milhões de pessoas, de que a vontade de Deus sempre é boa, perfeita e agradável.

Porém, nesta história, entra em jogo não somente a vontade de Deus, mas também a vontade de Thérèse, mãe de Celine.

Precisamos levar em consideração que, quando uma mulher toma a decisão de abortar, geralmente o faz submersa em um estado de crise, que não lhe permite analisar seu problema e avaliar outras alternativas possíveis.

Mas nós, seres humanos, temos a capacidade de transcender nossas limitações, podemos superar qualquer condicionamento externo com uma mudança de atitude diante dos problemas.

Ainda que a liberdade envolva a possibilidade de escolher entre o bem e o mal, nós, cristãos, sabemos que a liberdade humana alcança sua perfeição quando segue a vontade de Deus. A vontade de Thérèse, em harmonia com a vontade de Deus, deu ao mundo um maravilhoso presente: a vida de Celine Dion.

Lembre-se disso: suas decisões, quando pautadas na vontade de Deus, sempre trarão resultados maravilhosos. Confie em Deus, e Ele fará maravilhas na sua vida!

Anúncios

Salve Maria! O Blog Centro da Família Coração de Jesus agradece o seu comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: